terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Resumo: História da Enfermagem


Florence Nightingale


Breve resumo sobre a história da Enfermagem

No período pré-cristão, a doença era vista como castigo de Deus ou influência demoníaca, e o tratamento consistia em sacrifícios. Na seqüência dos fatos, recorrer a sacerdotes tornou-se via comum, estes prestavam serviços médicos e de enfermagem na época, e depois adquiriram conhecimentos acerca de plantas medicinais. Porém a enfermagem só se caracterizou profissão apartir de Florence Nightingale, homenageada com título de “Dama da Lâmpada”, dessa maneira a lâmpada se tornou símbolo de enfermagem com significado de vigilância. Filha de ingleses aristocratas, pioneira na abertura de escolas de enfermagem às moças educadas e cultas, esta seleção se devia a sua dedicação em modificar o perfil da enfermagem, retirando rótulos de tempos passados, quando a enfermagem era exercida por bêbadas e prostitutas que ofereciam trabalho precário aos doentes. Anunciou sua decisão à família em dedicar-se à Enfermagem, visitou o Hospital Alemão, onde havia preocupação com a qualidade da assistência.


 Guerra da Criméia

Eclodiu a Guerra da Criméia e surgiram os relatos das condições precárias em que se encontravam os feridos e sobre a alta mortalidade, devido a falta de assistência aos soldados ingleses. Reuniu grupo de 38 mulheres composto por religiosas e leigas treinadas por ela e partiram, com a sua organização e dedicação reduziu a mortalidade de 40% para 2%. Pós retorno, foi condecorada com o Prêmio de Ordem ao Mérito, pós a Guerra publicou seu livro, Observações sobre Enfermagem. Fundou a primeira escola de enfermagem Hospital Saint Thomas, onde era exigida rígida disciplina e qualidade moral das candidatas para se consolidar o ingresso. Com curso de duração de um ano e aulas diárias, ministradas por médicos. A filosofia da escola de Florence considerava a prática  essencial e que deveria ser mantido por dinheiro público; estreita associação com hospitais, porém prevalecer a independência financeira e administrativa; enfermeiras profissionais responsáveis pelo ensino e as estudantes durante o treinamento ter residência à disposição próximo ao hospital.

No Brasil, inicialmente a enfermagem era exercida por homens. Do período colonial até fim do século XIX, escravos exerciam o trabalho braçal auxiliando religiosos. Padre José de Anchieta  atuava como médico e enfermeiro, aplicava ervas e tratava os doentes diretamente. Um grande destaque foi Ana Nery, “Matriarca da Enfermagem no Brasil”. Escreveu ao presidente da província pedindo autorização através de carta para dar auxilio ao corpo de saúde do Exército. Partiu da Bahia para o Paraguai foi condecorada com medalhas de prata humanitária e da campanha , além de receber do imperador uma pensão vitalícia, com a qual educou quatro órfãos que recolhera no Paraguai. Antes a enfermagem era símbolo de caridade, mas na atualidade busca-se valorização profissional à categoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário