segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Saúde: Festa de piolhos



Crianças curtindo enlouquecidas em parquinhos, condomínios com amigos e parentes... alegria é geral!! Mas e quando você percebe que a coceira na cabeça de um dos seus filhos ou alguém próximo está demasiada, em alguns casos aparecem placas avermelhadas na nuca e atrás das orelhas. Então, por curiosidade/precaução, você fez uma inspeção na cabeça desse indivíduo e descobre um piolho ou vários... pelo menos, cuidando o quanto antes tudo acaba bem. Esse pequeno parasito não tem um perfil de pessoa em especial, independe de raça, idade, hábitos de higiene, questão socioeconômica ou qualquer outro parâmetro. Eles querem um couro cabeludo para morar e procriar. É bom lembrar que nem sempre o prurido (coceira) é uma sintomatologia e também, nem sempre esse sintoma é apresentado num caso real de pediculose, sendo isto um perigo. Pois nos casos assintomáticos como não há coceira inicialmente, quando o problema é constatado a população de piolhos é absurda e em casos mais graves pode ocasionar anemia ou infecções. E tem mais, piolho não voa, ele pula!!




Falar de piolho, me obriga a falar das lêndeas, que são os ovos do piolho, são branquinhas e dão o maior trabalho para sair, então deve-se usar o pente fino e passar um bom tempo no trabalho manual.




O que fazer?

Assim que é constatada a presença de piolhos (pediculose) é preciso tomar medidas adequadas e urgente!

Pediculus humanus captis

Piolho do couro cabeludo, bichinho muito comum em ambientes onde convivem crianças ou aglomerações, a exemplo de creches e escolas. Também a transmissão ocorre facilmente, por contato direto, principalmente por proximidade entre pessoas, por usar objetos pessoais como pentes e escovas, elásticos ou xuxas de cabelo, etc. E tem mais, quem depende de motoboy, muito cuidado, o uso de capacetes compartilhados ou ainda usar bonés de outros são um meio de transmissão. Portanto, quem costuma pegar moto, deve comprar um capacete e evitar usar o de outros. 




Deve-se atentar também quanto a higiene, como está sendo lavado o cabelo? 

Quando lavamos os cabelos, devemos massagear todo o couro cabeludo com a ponta dos dedos e jamais com as unhas para não criar lesões. Além de garantir a higienização, com essa massagem estaremos estimulando a circulação do couro cabeludo e evitamos o aparecimento de infestações. O piolho se alastra facilmente entre o hospedeiro e os que convivem com ele, por isso a importância em tratar o quanto antes para evitar infestação. Importante também salientar que, pegar piolho não tem relação com tamanho do cabelo, ou seja, independente de curto ou longo é possível a transmissão. Antigamente, ao primeiro sinal de piolho, as mães de imediato cortavam os cabelos dos filhos o mais curto possível. Isso com certeza afetava a vaidade de algumas meninas, que depreciavam o corte conhecido como "Joãozinho". Quanto a questão de cabelos tingidos serem mais difícil de adquirir, isso não tem nenhuma comprovação científica.




O piolho fica afixado nos fios e ataca o couro cabeludo, por isso a necessidade de removê-los com pente fino. Além disso, há uma medicação de uso oral, Revectina, comumente recomendado. Porém, como toda medicação deve ser comunicada ao médico. Mais informações sobre a medicação, através do link: Bula/Revectina

Os shampoos mais comuns são o Scabin, Deltacid, Nedax e outros.



A preocupação é tão real que existe um site exclusivo sobre esses bichos

Link: piolho.org

Um comentário:

  1. Eu nunca pensei sobre como obter piolhos de um capacete de moto táxi!
    meu primo tem um negócio de remoção de piolhos em Portugal usando uma máquina chamada LouseBuster. Eu acho que ele ganha dinheiro muito.

    ResponderExcluir