domingo, 22 de janeiro de 2012

E não nos deixe cair em tentação...

Analise a situação: Você sai para uma noitada com suas amigas depois de um longo período de molho em casa por razões que não importam agora, sem encontrar nenhum carinha interessante para xavecar nos locais por onde circula (restaurante, acadêmia, shopping e mesmo em viagens). Vocês estão num barzinho badalado com homens de todas as idades, comprometidos ou não, acompanhados ou não... homens para todos os gostos e credos. Numa mesa exclusivamente masculina, um lhe chama atenção. Bem, primeiro você lança um olhar investigativo para onde?? 

Para a mão do gato e nela eis que você se depara com um 'bambolê' (aliança)!




Bom, a história podia parar por ai...mas às vezes o destino ou sei lá o quê, nos coloca numa situação um tanto quanto complicada. 

Um dos que estavam nesta mesa tenta aproximação, usando perguntas bobas e se desculpando pela intromissão. Superengraçado e ao que tudo indica, uma pessoa legal e assim os laços entre as duas mesas se estreitaram. 

Detalhe: parte desse grupo, incluindo o tal gato, é de outro estado. O que lhes faz sentir uma certa liberdade em agir e curtir a noite, sem limites.

Muitas cervejas depois, rola uma maior aproximação partindo de brincadeiras, sussurros ao pé do ouvido com a velha desculpa do som alto, tentativa de saber mais sobre o outro... porém nunca esquecendo o detalhe da aliança ou 'bambolê', como queira.

Noite a dentro na maior animação, dançam muito, ele bebe e ela não. Se ambos bebessem, a velha desculpa do exagero no álcool poderia ajudar, mas nesse caso, não havia como usar essa 'balela'. Então, a real foi que o desejo bateu, assim como a química entre ambos, mas a consciência dela não permitia que nada ocorresse, embora ele tenha passado a noite implorando por um beijo. O problema dessa mulher é crer que "aqui se faz, aqui se paga", ou seja, acredita que seja o que for que fizermos conscientemente, de algum modo responderemos. Ela como tantas mulheres não admite traição e é o tipo de pessoa que aprendeu a valorizar a fidelidade. Ela admitiu o quanto queria dar aquele beijo tão almejado, mas justificou que não se sentiria bem em beijá-lo já que ele é casado, então eis o impasse. Ele dizia que quem deveria se sentir culpado era ele, pois era de sua responsabilidade manter-se fiel, mas ela manteve-se irredutível até o último momento quando despediram-se. Ele retornará a cidade da 'certinha' devido à negócios, tem o telefone e e-mail dela, que ficou em dúvida se fez certo ou errado, pois a tentação retornará ao seu caminho em questão de dias. 

Sendo sincera, quando há lenha demais nesse tipo de situação, acredito que a melhor opção é não atear fogo para evitar acidentes. Uma mulher quando tem uma atitude assim, certamente não se satisfaz com uma aventura, quer mesmo é um relacionamento. E certas aproximações que parecem insignificantes podem  fazer estrago, ainda mais se a carência se faz presente. Se tudo parar por aí, sem problemas, mas se houver continuação nessa história...

"LENHOU!!"





Ficar com homem casado para muitas mulheres não é tão ruim assim, nem é causa para peso na consciência. Nada contra quem topa, cada qual no seu cada qual. Se para você ficar em segundo plano não é ruim, que mal há nisso? O importante é jamais criar expectativas sobre  ele pedir o divórcio, pois sempre haverá alguma razão que não o permitirá sair de casa, sejam os filhos ou a dependência financeira da esposa, ou ainda uma doença incurável de esposa ou filho e tantas outras desculpas esfarrapadas. Como nem tudo na vida é regra, há situações onde a "outra" consegue se tornar a "oficial", mas nem sempre é assim.

Há alguns homens que chegam a bancar a "outra" e até mesmo constituem uma família em paralelo. Sendo racional, quando a gente escolhe um homem, na maioria das vezes, é por razões emocionais, de modo que a companhia dessa pessoa é especial e queremos ter acesso irrestrito, principalmente em datas especiais (como Aniversários, Dia dos Namorados,  Natal, Ano Novo, etc) e nas noites quentes ou frias, seja para aquele sexo selvagem com direito a arranhões ou uma noite de conchinha. Então, a mulher que busca estabilidade no relacionamento é melhor manter-se bem longe desse tipo de história.

Pensando em consequências de um relacionamento desse tipo, imagino se a mulher do cara descobre e vai bater de frente, para tirar satisfação e pior, se for do tipo que adora cenas de vulgaridade explícita? No caso citado no inicio do post, eles são de estados diferentes, isso dificulta de certo modo, porém há casos onde vizinhos se envolvem e essa proximidade de seus cônjuges torna tudo mais excitante. Como um certo caso de Luana e Zico, que não mediam esforços de se encontrar tendo sido flagrados na cama pela esposa dele. Essa esposa sabia desse caso, assim como de outros que ele tinha e sempre suportou sem fazer cenas. Esse caso durou uns 8 anos e a desculpa dele para não largar a mulher, era de que ela não tinha como se manter sozinha, era doente e o filho deles era deficiente. Luana chegou a engravidar e abortar. Passou uns dois evitando Zico depois desse episódio, embora ele insistisse em reavivar lembranças íntimas em conversas pelo MSN. Não se sabe ao  certo o que houve, mas a pobre esposa foi largada e nesse meio tempo ele se casou com outra, ainda assim tenta aproximação com Luana.

Outro caso como o de Camila e Tarso, que se conheceram por acaso numa loja e acabaram trocando e-mail, sendo que no mesmo dia ele enviou mensagem para ela, dizendo que adorou conhecê-la e gostaria de reencontrá-la. Encontro marcado, assunto livre, ficaram algumas horas juntos, foram ao cinema e despediram-se, marcando novo encontro. No segundo encontro, ela enxergou o que não havia notado antes ou segundo ela, não tinha visto antes, a aliança na mão esquerda. O que ela não tem certeza é se ele estava usando e ela não viu ou ele vacilou e saiu usando. Conversaram sobre o fato e ele despejou a seguinte história: Casou-se com a pessoa, porque ela engravidou e a família fez pressão, ela havia parido há pouco mais de dois ou três meses, não conseguiam se acertar, ele estava viajando sempre a trabalho. Ela não perdia a chance de ofendê-lo, blá blá blá e até mesmo tinha jogado a aliança no lixo com raiva dele. Bem, tudo fazia crer que aquele casamento mal havia iniciado e já estava no fim. Ele sumiu por 2 semanas e enviou outro e-mail dizendo estar de volta na cidade e que estava morrendo de saudades dela. Marcaram encontro e mataram a saudade, ele dessa vez sem aliança. Passaram a noite juntos e no hotel onde ele estava, haviam várias malas com todas as roupas dele, segundo Tarso, ele havia sido posto para fora de casa. Para Camila a companhia dele era maravilhosa, mesmo que o sexo não fosse incrível, mas gostava de estar com ele. Ela sabia bem no fundo que aquele papo era mais que cascata, apesar das malas e da tristeza ao falar da  filha. Depois disso, ele sumiu outra vez e com isso, Mi deduziu que ele tinha voltado para casa. Dito e certo, ele mandou outro e-mail com o mesmo perfil dos outros e como a graciosidade de tudo para ela quanto essa história tinha acabado, ela respondeu de forma bem ponderada, como se ele fosse um conhecido qualquer. Ele a adicionou no facebook, ela aceitou. Ele a flagrou on no MSN, e ela baixou a guarda quase um ano depois e se reencontraram. Resultado desse encontro, ela comprovou o quanto ele é ruim de cama e tudo não passou de carência quando se conheceram.

São esses e tantos outros casos que acontecem por um momento de fraqueza onde a mulher encarna o perfil de boa samaritana para ganhar um afago desses cafajestes que desfilam por ai, há também as espertas que descobrem a galinha dos ovos de ouro, essas sim, sabem jogar. Michele e Caco. Ela é divorciada, tem uma filha e nada a perder. Cruzou o caminho de Caco, que tinha uma certa ligação de amizade com ela, bem antes de seu primeiro casamento.  Por razões que a própria razão desconhece, se envolveram e ele passou a bancá-la, sendo que mesmo após romperem por alguns meses a relação, ele continuou sendo seu provedor. Nesse período de separação, ela iniciou outro relacionamento que findou em curto prazo, porém Caco não sabia disso. O valor era depositado todos os meses na conta de Michele, para que o aluguel, compras de supermercado, telefone, água, luz, salão, etc fossem pagos sem atraso. Como esse lance não durou, ela acabou voltando para Caco. Ele com a esposa e filhos, a esposa ciente dessa história e além de tudo elas se conhecem, embora haja aquela falsidade terrível quando se encontram e assim a vida desse trio segue a velha rotina a qual se habituaram.

Com certeza, o que não faltam são história sobre triângulos amorosos, bem ou mal como dizem tudo só acaba no final. Mas como esse fim será? Creio que depende da sorte de cada um! Quem gosta de aventura, não tem nada a perder. Contudo, quem preza a racionalidade, é melhor pensar muito sobre qual atitude tomar, para depois não se arrepender. Ninguém tem que ser julgado ou apontado pelos outros por suas opiniões, pois cada qual tem sua consciência e ela já é suficiente para nos condenar ou não. Porque quando ela nos condena, perdemos a paz.

Um comentário:

  1. Ninguém merece esse tipo e situação, tow fora!!! Muito bom o post.

    ResponderExcluir