sábado, 7 de abril de 2012

Mapa do Amor (Ailton Amélio) Cap.2





Continuando com os comentários e resenha do livro "O mapa do amor", do autor Ailton Amélio. Esse segundo capítulo do livro, explana sobre locais e atividades que facilitam o inicio de relacionamentos amorosos. A publicação do livro foi em 2001, então não insere a internet como local comum para que tais relações ocorram. No final de 1999, eu já usava a internet e nesse período conheci uma pessoa usando a rede pelo velho Ninja (algumas pessoas devem lembrar desse cyberscript) e com ela mantive um relacionamento sério. Depois disso, o meu outro relacionamento, também foi iniciado pela internet, em 2003 e durou tempo suficiente. Ainda hoje, sinto mais facilidade em iniciar relacionamentos pela internet, apesar de muitos acreditarem ser perigoso iniciar um relacionamento dessa forma, mas pergunto: "Perigoso como?" Os riscos estão em todos os cantos. Você sai e é abordada por um estranho, em paralelo, você acessa um site e alguém te aborda no bate-papo; vocês conversam/teclam, cada qual fala o que acha que deve (nome, idade, atividade profissional, estuda o quê, o que gosta, etc). Em ambas situações, você buscará pontos de afinidade. Partindo daí, será avaliada a possibilidade de um outro encontro, sendo no caso do bate-papo um encontro real. O que implica quanto ao encontro pós internet, é onde você conhecerá a pessoa. Em ambos os casos, você não dirá nada sobre mundos e fundos que lhe pertencem ou qualquer informação que lhe deixará numa situação vulnerável, caso o sujeito não tenha boas intenções para com você. Atenção ao que se diz sempre para não entregar o ouro. Quanto ao que vocês farão na sequência, ai é problema de cada um. Cada cabeça, uma sentença! 

Mas dentro do contexto do livro, fala-se sobre a expansão do círculo social a fim de facilitar encontros, como aderir a novas práticas, participação de cursos como nos exemplos comparativos do inicio do capítulo, entre duas pessoas distintas, onde um não sai do círculo familiar e o outro que expandiu seus horizontes com a prática de um curso de língua estrangeira e um de dança. Há um teste no capítulo sobre características dos locais/atividades que facilitam o inicio de relacionamentos amorosos... só obtendo o livro para fazer a avaliação! É bom pensar estrategicamente no local para caçada, porque ficar em casa lendo, assistindo tv ou qualquer outra coisa do tipo que não te conecte ao mundo, dificulta e muito um encontro casual. Bem, pode ocorrer de um milagre cair do céu e um gato bata a sua porta, amigo de seu irmão ou um bofe perdido...kkk É surreal, mas nessa vida, tantas coisas que parecem impossíveis acabam acontecendo... quem sabe você caia nessa margem?



Para que se encontre um parceiro adequado, é importante que se avalie o local frequentado, assim como o perfil de pessoas que costumam frequentá-lo, além da disponibilidade dessas pessoas em uma aproximação. Bem lembrado que, o local seleciona o tipo de gente que o frequenta, por questões de custos, nível cultural. Dependendo de suas possibilidades, você tem acesso aos melhores estabelecimentos e cada lugar tem um perfil de público. Apenas o quantitativo não é suficiente para que se encontre alguém, há diversos fatores que conspiram para que tudo possa acontecer. Num ambiente onde pessoas frequentam constantemente, fica fácil traçar perfil dos outros frequentadores habituais e até mesmo de terem informações interessantes sobre estas pessoas. Exemplo disso, seu amigo curte um barzinho e é o point dele todo final de semana, ele saberá quem são os frequentadores assíduos e assim, poderá lhe passar informações sobre diversas pessoas, mesmo que ele não seja o melhor 'repórter balada'. Mas a frequência garante informações privilegiadas como, se aquele carinha por quem você se encantou, sempre vai sozinho ou acompanhado; se o outro que é a cara de Gianecchine é um pau d´água; e coisas do tipo. Apesar de locais terem frequentadores assíduos, sempre há as novidades que aparecem vez ou outra, e dispostos ao flerte.


Tudo é percebido por sinais, lembrando-se de que o corpo fala e às vezes, até grita!Mais adiante, o autor afirma sobre a relatividade de muitos ou poucos contatos para o inicio de um relacionamento amoroso, contato existente entre conhecidos que pode gerar um relacionamento ou por intermédio de outros, ou seja, apresentações por parte de um amigo em comum. Há também uma abordagem sobre facilitadores dos relacionamentos, como atividades que podem gerar uma proximidade, a exemplo da dança. Relevância ao fator iniciativa pessoal, sendo assim, há determinados lugares que tudo depende disso. Mas para os tímidos, isso é um grande problema! A empolgação de iniciar um namoro, mascara as consequências de iniciá-lo, que podem ser positivas ou não, a depender de como o outro receba esse flerte. Citadas pelo autor, a intrapsíquica , relacionada a autoestima que alça vôo quando conseguimos a conquista e a extrapsíquica, daquele constrangimento pós o fora da rejeição. É certo que quanto mais experiência na vida e no amor adquirimos, mais seletivos ficamos. Amor, amor, amor... falar de amor é bom! Um encontro ou um reencontro, um novo despertar, mas falar de amor sem falar de traição... 




No livro na pág.74 há uma anedota referente a um presidente, quanto ao assunto que ela carrega consigo e o que preocupa muita gente, está o interesse sexual e amoroso fora do relacionamento, "efeito da novidade ou efeito carne fresca". Sobre isso, há resultado de estudos, avaliações do autor que comenta sobre esse efeito novidade. Os locais pontuados no livro para encontros e analisados são: escola, trabalho, vizinhança, festa de conhecido, paqueródromo, sala de aula e praça pública. É interessante que a leitura seja feita na íntegra e que você responda aos testes propostos, assim como veja a análise dos resultados das pesquisas realizadas no estudo, ressalva que a internet não foi inclusa dentre os locais/atividades que facilitam relacionamentos amorosos.


(p.57-93)



Nenhum comentário:

Postar um comentário