sábado, 2 de junho de 2012

Taj Mahal: História de amor sem final feliz



Uma jóia da arte muçulmana na Índia

Quem vê o Taj Mahal e seu esplendor, se encanta. Mas a história em si desse lugar, marca o final infeliz de uma história de amor. Situado em Agra, no estado de Uttar Pradesh, na Índia, na margem direita do Yamuna em um jardim Mogul. É um mausoléu de mármore branco, construído por ordem do imperador Mughal Shah Jahan, a fim de eternizar a memória de sua esposa favorita, Mumtaz Mahal, falecida em 1631. Sua construção foi iniciada em 1632 e concluída em 1648. 

A equipe de trabalho foi formada por pessoas de vários lugares do mundo, desde milhares de pedreiros, marmoristas, mosaicistas, decoradores, todos coordenados sob ordem do arquiteto do imperador, Ustad Ahman Lahori. É delimitado por quatro minaretes (torres de mesquitas) isoladas, sobressai com sua estrutura octogonal seladas por uma cúpula bulbosa. O material de construção principal, destaca e cintila os arabescos florais, as faixas decorativas e as inscrições caligráficas que estão incrustadas na policromática pedra dura. Os materiais foram trazidos da Índia e da Ásia Central e Makrana. As pedras preciosas para o embutimento vieram de Bagdá, Punjab, Egito, Rússia, Golconda, China, Afeganistão, Ceilão, Oceano Índico e Pérsia. O estilo Mughal combina elementos estilos de persa, arquitetura asiática e islâmica. Darwaza, o portal principal, é uma majestosa estrutura de três andares de arenito vermelho com uma câmara octogonal com um teto abobadado e com pequenas       salas em cada lado. 

O portal é composto de arco central elevada com dois andares de asas em ambos os lados. As paredes são inscritos com versículos do Corão em árabe de caligrafia preta. Os pequenos pavilhões de cúpula no topo são em estilo hindu e significa realeza. O portal foi originalmente revestido com prata, agora substituído por cobre e decorada com mil pregos, cujas cabeças foram moedas de prata contemporâneas. Bageecha, são os jardins ornamentais, possui dois canais de mármore cravejado com fontes, forrado com ciprestes que emanam da central, há uma cruz levantada na piscina no centro do jardim, dividindo-o em quatro quadrados iguais. Em cada quadrado há 16 canteiros de flores, fazendo um total de 64 com cerca de 400 plantas em cada câmara. A característica notável do jardim é definida pela simetria perfeita. Os canais, com um perfeito reflexo do Taj, costumavam ser abastecido com peixes coloridos e os jardins com belas aves. O Taj em si, fica localizado na extremidade norte do jardim. Fica sobre duas bases, uma de arenito e sobre ela uma plataforma quadrada trabalhada em preto e branco (designe de um tabuleiro de damas), coberto por um enorme terraço de mármore azul, em cada canto há quatro minaretes. Nos lados leste e oeste da tumba são idênticas as construções de arenito vermelho. No oeste fica a mesquita, a qual santifica a área e oferece local de culto. No outro lado, fica a jawab, que não pode ser usada para orações. O puro mármore branco do Taj Mahal, brilha à luz do luar.



Túmulos de Shah Jahan e Mumtaz Mahal




Interior da mesquita do Taj




Vista para o jardim







Outras imagens do Taj Mahal






Nenhum comentário:

Postar um comentário